Seria este um cometa entrando no céu da Organização das Nações Unidas? Nikki Haley destruíu a tendênciosa ONU já em seu primeiro discurso no Conselho de Segurança sobre Assuntos do Oriente Médio, que possui encontros mensais para discutir questões da região, em uma participação absolutamente meteórica – perdoem-me os trocadilhos.

Ela disse estar surpresa com um Conselho que ao invés de discutir o crescimento ilegal do arsenal bélico do Hezbollah no Líbano, o financiamento de grupos terroristas pelo Irã, como conter o Estado Islâmico ou condenar Bashar al-Assad pelas atrocidades cometidas na Síria, o Conselho ocupou-se, meramente, em criticar Israel, a única verdadeira democracia na região.

 “Eu sou nova por aqui, mas entendo que assim é como o Conselho vem operando mês após mês. Estou aqui para dizer que os Estados Unidos não irão mais se fazer de cegos. Estou aqui para reafirmar o suporte dos Estados Unidos à Israel. Estou aqui para enfatizar que os Estados Unidos está determinado à lutar contra a tendência anti-Israel da ONU… As tendenciosas resoluções deste Conselho de Segurança e da Assembléia Geral, somente fazem com que a paz fique difícil de ser alcançada, e desencorajam um dos lados [Israel] de ir a mesa de negociações.”

Nikki Haley ainda acrescentou: “É incrível como o Departamento de Assuntos Políticos da ONU possui uma divisão devotada inteiramente para assuntos palestinos. Imagine só, não existe nenhuma divisão devotada ao lançamento ilegal de mísseis pela Coréia do Norte. Nenhuma divisão devotada ao principal país financiador do terror, Irã. O tratamento preconceituoso dos assuntos israelo-palestinos não traz benefício algum ao processo de paz, e não carrega nenhum vestígio de realidade do mundo à nossa volta. A política de dois pesos duas medidas é ultrajante.”

A embaixadora finaliza deixando claro que a tendência anti-Israel precisa mudar e que os Estados Unidos não hesitarão em posicionar-se na defesa de seu amigo. Nikki Haley traz a esperança de mudança na postura da ONU que nós israelenses há tanto aguardamos. Ela deixa bem claro que o céu tendencioso da ONU nunca mais será o mesmo.