Na França é terrorismo, em Israel é militância

Seria cômico, se não fosse trágico: o líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, condenou os ataques terroristas na França, que deixaram 129 mortos e centenas de feridos. Hassan disse “Nós, do Hezbollah, expressamos nossa condenação aos ataques do ISIS em Paris, França”. O Estado Islâmico é uma milícia Sunita, ou seja, inimiga do Hezbollah, que é Xiita.

Hassan Nasrallah, líder do Hezbollah, condena os ataques terroristas na França.
Hassan Nasrallah, líder do Hezbollah, condena os ataques terroristas na França.

O Hezbollah é uma milícia fundamentalista islâmica xiita com sede no Líbano, apoia o governo de Assad na Síria e tem laços de amizade com o Irã. Surgiu em meados da década de 80 como um movimento de resistência a Israel, participou na Guerra Civil Libanesa e teve seu comando militar treinado pela Guarda Revolucionária Iraniana, tendo como um dos principais lemas: “colocar um fim nas entidades colonialistas” – em referência a Israel, claro.

O Hezbollah, além de ser conhecido por diversos movimentos sociais no Sul do Líbano, possui uma rádio e um canal de televisão. No turbulento período de protestos contra o governo libanês de 2006-2008, o Hezbollah assumiu o controle de diversos bairros de Beirute ocidental. Após anos de negociações políticas, finalmente, o Hezbollah formou um governo de unidade nacional, tendo um ministro e 11 dos 30 assentos no parlamento libanês.

Pelo fato de ter recebido ajuda financeira de Assad na Síria, o Hezbollah se viu forçado a apoiar o Governo na guerra civil síria que já deixou milhares de mortos e milhões de refugiados. Com a volta do Irã aos contornos políticos da região, após o tratado nuclear com os EUA e o fim das sanções econômicas, o Hezbollah, aliado do Irã, e gozando de popularidade local, vê-se renascido no Oriente Médio.

Interessante que o mesmo Hezbollah que condena os ataques terroristas na França, considera os ataques palestinos em Israel uma forma de militância.

About the Author
Fazendo frente ao mundo de desinformações que assolam editoriais e movem teclados contra Israel. Daniel é mestre em Economia Financeira, Professor e Pesquisador Assistente na Faculdade IDC Herzliya. Siga-me no Facebook.
Related Topics
Related Posts
Comments