Um sonho necessário

Nesta mesma data, 29 de Agosto, há 120 anos atrás, Theodor Herzl encabeçava o Primero Congresso Sionista Mundial, na cidade Suíça da Basileia, que deu início à fundação do moderno Estado de Israel.

Foto tirada na mesma sacada do mesmo quarto do mesmo hotel (Le Trois Rois) que Herzl se hospedou durante o primeiro Congresso Sionista Mundial.

Foto tirada na mesma sacada do mesmo quarto do mesmo hotel (Le Trois Rois) que Herzl se hospedou durante o primeiro Congresso Sionista Mundial.

Há 69 anos atrás o sonho de Herzl se concretizou, infelizmente mais tarde do que o necessário, com cerca de 1/3 da população judaica da época covardemente dizimada pelos nazistas e seus colaboradores, número que até hoje não foi retomado.

Israel, depois de 2 mil anos de exílio do povo judeu com constantes perseguições e sofrimentos, é hoje uma realidade, tem vários problemas (afinal, qual país não tem?), ainda assim uma democracia pujante, livre e moderna. Herzl teria muito orgulho de seu feito.

Apesar de todo esforço esta maravilha moderna e unica no mundo, que trouxe à vida uma língua milenar para seu povo em suas terras ancestrais, não está garantida. É o único Estado membro da ONU que sofre ameaças de extinção constante (e não foi por falta de tentativas), o único que tem sua legitimidade questionada e disparado o que mais sofre condenações neste mesmo órgão apesar de tantas benesses que traz para todo o mundo em áreas como medicina, ecologia, tecnologia e manejo de água, apesar da ajuda para tantos povos com suas missões humanitárias, apesar de ser uma ilha de civilização em meio a um mar de barbárie. Realmente não dá para entender o porque de tanto ódio direcionado quase que exclusivamente a esta pequena nação.

Em tempos de antissionismo latente, sua necessidade de existir é cada vez mais clara com os crescentes ataques e perseguições às comunidades judaicas nos quatro cantos do mundo, pela extrema esquerda e pela extrema direita, por supremacistas brancos e membros do “Black Lives Matter”, por extremistas cristãos e muçulmanos, a lista é interminável. Por tudo isto, fica cada dia mais claro que só estamos de fato seguros, com liberdade para professar nossa religião e para manter nossas tradições, em nossa terra prometida, junto de nossos irmãos.

No dia de hoje, 120 anos atrás, Herzl pôs em prática o anseio de uma nação espalhada por um exílio forçado e penoso, uma aspiração extremamente necessária, o sonho de todo um povo por séculos, algo impensável na época, ambicioso e maluco, mas deu certo, apesar de toda dor e de tanta demora, nosso lindo Estado está ai para ficar.

Obrigado Theodor.

 

About the Author
Ariel é administrador de empresas formado em Comercio Exterior no Mackenzie, tem um MBA em Marketing na ESPM e Curso de Especialização em Liderança Empresarial e Comunitária na Instituição de ensino superior e pesquisa Insper e no Instituto Rutenbergem em Haifa - Israel. É palestrante ativo com apresentações em escolas, sinagogas, centros comunitários, igrejas, clubes, etc, com 25 anos de voluntariado comunitário como monitor, instrutor, dirigente e diretor de instituições. Há mais de 22 anos é um estudioso e entusiasta da historia, política, diplomacia e geografia no mundo mas principalmente do Oriente Médio. Morou em Israel e já retornou mais de uma dúzia de vezes para lá e para outros países da região (Egito, Territórios Palestinos ..). Em várias oportunidades teve contatos, encontros, discussões com diversas autoridades, formadores de opinião e jornalistas, em Israel, EUA e Brasil. Escreve artigos publicados em diversas mídias, como a Revista Shalom, Blog do Jornal Times of Israel, Tribuna Judaica e Portais como Pletz, WebJudaica, sites, etc ... Membro do SC (Steering Committee) do JDC (Jewish Diplomatic Corps) braço diplomático do WJC (World Jewish Congress) guarda-chuva de mais de 100 comunidades em todo mundo, Diretor na JJO (Juventude Judaica Organizada), membro do Conselho do Fundo Comunitário Jovem e membro do Conselho da Hebraica.
Related Topics
Related Posts
Comments